Samsung anuncia novos SSDs de alta capacidade que ‘nunca morrem’

Drives usam tecnologia que identifica módulos com problema e move arquivos para evitar perda de dados

A Samsung anunciou os novos SSDs PM1733 e PM1735, divididos em 19 versões. Os modelos prometem durar “para sempre”, graças à tecnologia FIP (fail-in-place, em inglês). O recurso permite aos componentes identificar falhas e substituir o local onde os arquivos são armazenados. Dessa forma, caso algum módulo esteja com problemas, o próprio dispositivo move os arquivos antes que o mesmo pare de funcionar.

Além disso, a velocidade de leitura e gravação também chama atenção, podendo chegar a 8.000 MB/s e 3.800 MB/s, respectivamente. Os produtos vão chegar com alta capacidade, indo de 800 GB a 30,72 TB, e serão destinados, em um primeiro momento, a data-centers e servidores.

Drives podem resistir a módulos com problema e usam recurso que evita a perda de dados — Foto: Divulgação/Samsung

A promessa de alta durabilidade e sistema de prevenção de falhas é crucial para uso em servidores. Esse tipo de sistema normalmente é submetido a estresse intenso, algo que pode comprometer a integridade de dados e até mesmo a durabilidade dos armazenamentos instalados. Vale destacar, no entanto, que a promessa de um drive que “nunca morre” da Samsung tem mais a ver com a garantia de que o componente continuará funcionando mesmo se houver alguma falha, e não que será à prova de falhas ou de desgaste.

Com tecnologia PCIe 4.0, os SSDs da marca também despontam com números de performance elevados. Para gravação sequencial de dados, os drives podem chegar a 3.800 MB/s, enquanto a leitura bate a faixa de 6.400 MB/s nos modelos de formato U.2 e de 8.000 MB/s nos dispositivos com formato de card (2.5).

Também no formato card, drives são destinados a servidores e data-centers — Foto: Divulgação/Samsung

Além da tecnologia que contorna possíveis problemas nos módulos de armazenamento para preservar dados, os drives contam com funcionalidades avançadas. Uma delas é a possibilidade de fracionar um dispositivo em até 64 SSDs virtuais. Outro destaque é a inteligência artificial aplicada para monitorar a operação do disco, reforçando a garantia de que os dados ficam sempre seguros.

Com foco em servidores, os produtos ainda não tiveram preços revelados. De qualquer forma, o uso da tecnologia que aumenta a durabilidade dos armazenamentos pode ser um marco para que o recurso apareça em SSDs voltados para o usuário final no futuro.

Fonte: https://www.techtudo.com.br/noticias/2019/09/samsung-anuncia-novos-ssds-de-alta-capacidade-que-nunca-morrem.ghtml

Galaxy Note 5 e S6 Edge+: os phablets mais bonitos que a Samsung já fez

Quem procura celular de tela grande certamente já se questionou, mesmo que rapidamente, sobre a possibilidade de adquirir um Galaxy Note. Afinal de contas, foi o aparelho que lançou a nova era dos “phablets”, além de sempre contar com tudo o que de melhor a Samsung pode fazer para um smartphone.

A quinta versão não é diferente, concentrando tudo que de mais potente a companhia coreana consegue colocar em seus aparelhos. Desta vez, ela também chega junto de um irmão diferente, o S6 Edge Plus, que conta com os cantos da tela curvada.

Design

Há, neste ano, um porém. A identidade visual do Galaxy Note foi reformulada para se adequar ao padrão implantado no S6, com traseira de vidro e uso de material metálico, depois de muitos anos de plástico. Não é algo ruim: o S6 e o S6 Edge foram o celular mais bonitos já produzidos pela Samsung, e levar isso adiante com o Note não é nada além do que o passo mais lógico.

Reprodução

O problema vem quando você olha que a Samsung também levou o principal defeito do S6 para o Note, que é a ausência do slot para cartão microSD, o que um dia já foi uma das principais características positivas dos produtos da empresa.

Feitas estas ressalvas, é interessante observar um detalhe: o Note 5, tem os cantos na sua parte de trás curvados, o que facilita o encaixe na mão e dá a impressão que o celular é um pouco menor, já que ocupa menos espaço. É uma sensação importante quando o aparelho que você está manipulando tem mais de 5,5 polegadas.
Especificações

A Samsung nunca se preocupou em economizar especificações em seus tops de linha, e o Note 5 não é exceção (o mesmo vale para o S6 Edge Plus). Com um processador Exynos 7420 de 64 bits de oito núcleos e 4 GB de memória RAM, não é surpresa que tudo funcione muito rápido no aparelho, mesmo com a TouchWiz, que normalmente atrasa a vida de quem possui aparelhos da companhia.

A câmera traseira de 16 megapixels conta com estabilização óptica de imagem, o que é sempre muito bem-vindo, principalmente para aqueles que (como eu) tendem a tirar fotos tremidas com o celular. No entanto, é basicamente a mesma coisa que foi apresentada no S6 em abril, portanto não chega a ser revolucionário, mas é uma evolução em relação ao Note 4, do ano passado.

Reprodução

Software

Sobre software, é notável que agora os ícones do sistema são arredondados, algo pouco convencional. Um pequeno destaque é um novo recurso que permite capturar uma tela inteira de uma vez, o que simplifica a vida de quem precisa guardar uma longa lista de instruções, como por exemplo, as orientações curva a curva de como chegar a algum lugar. Também é interessante notar que a câmera do smartphone é capaz de transmitir vídeo ao vivo pelo YouTube, o que já existia em outros aparelhos de outras companhias (olá, Xperia Z), mas nunca houve nada do tipo nos celulares da Samsung.

Um detalhe que pudemos observar, é que foi possível desativar boa parte dos aplicativos pré-instalados no aparelho, permitindo que o usuário libere um pouco de armazenamento com o que ele não usar regularmente.

Além da estética, não há muito de novo em comparação ao que a Samsung já apresentou com o Galaxy S6; os aparelhos estão bastante similares em relação a desempenho, câmera e tudo mais. O que segue diferente é a S-Pen, marca registrada da linha Note, esta sim, ganhou mais funcionalidades. Vale também observar: a S-Pen não está no S6 Edge Plus, apenas no Note 5.

Reprodução

A caneta, agora clicável (para o desespero de quem convive com um clicador compulsivo), permite rabiscar na tela do celular, mesmo que ela esteja desligada, o que é uma mão na roda para fazer uma anotação rápida. Basta removê-la do aparelho, escrever o que quiser na tela e pressionar o botão Home para salvar. O menu de ações chamado pela caneta foi renovado, embora ainda seja bastante familiar.

 

S6 Edge Plus
Reprodução

Sejamos honestos: é um S6 Edge gigante, com o diferencial de contar com as mesmas especificações do Note 5 sem a caneta. E o S6 Edge já é uma versão do S6 com as laterais da curvadas, sem muito a mais para acrescentar.

A Samsung tenta vender aquele espaço extra como uma inovação, mas até agora não apresentou muitos recursos realmente úteis para colocar ali, e isso não muda com o novo aparelho. Suas principais funções incluem o acesso rápido a contatos e aplicativos que você acesse com mais frequência. Além disso, quando o aparelho está encostado na mesa com a tela virada para baixo, uma luz específica para um contato pode piscar quando esta pessoa estiver ligando.

No entanto, ainda é um aparelho bastante elegante, parte do line-up de smartphones mais bonitos que a Samsung já fez.

Reprodução

Galaxy Note 5 deve aposentar bateria removível e cartão micro SD

ecco-il-samsung-galaxy-note-v3-234151-1280x720

Novas imagens do Galaxy Note 5 divulgadas pelo site Droid Life mostram o novo celular da Samsung que deve ser lançado na próxima semana. Pelas imagens é possível perceber que o dispositivo virá com um slot para a caneta S Pen. Além disso, ao que tudo indica não será possível adicionaível adicionar mais memória via microSD nem trocar a bateria.

O site afirma ainda que o Galaxy Note 5 terá bateria de 3.000mAh, 4GB de memória RAM e versões com 32, 64 e 128 GB de armazenamento interno. O smartphone da coreana deverá vir também com um processador Exynos 7422 com CPU, GPU, RAM, modem e memória interna dentro do mesmo chip. Outras especificações são tela de 5,6 polegadas Super AMOLED, carregamento sem fio e S Pen.

Confira mais imagens:

Reprodução

Samsung anuncia mais um smartphone com flip: conheça o Galaxy Folder

samsung-galaxy-folder-white-1

A Samsung lançou na última terça-feira, 28, mais um smartphone com flip. O Galaxy Folder tem tecnologia 4G LTE, tela de 3,8 polegadas com resolução de 400 x 800 pixels, processador quad-core de 1.2 GHz, 2 GB de memória RAM, armazenamento interno de 8 G, câmeras frontal e traseira de 2 megapixels e 8 megapixels, respectivamente, bateria de 1800 mAh e roda a versão 5.1 Lollipop do Android.

Reprodução

O dispositivo será vendido somente na Coreia do Sul por US$ 250 (cerca de R$ 830).

Reprodução

Apple e Samsung se unem para matar o chip de celular

20150716152935_660_420

O SIM card está morrendo, e sua falta provavelmente não será sentida. Depois de anos diminuindo progressivamente de tamanho, Apple e Samsung, as duas maiores fabricantes de smartphones no mundo, estão discutindo com a indústria de telecomunicações o fim do tradicional chip, que dará lugar a uma solução virtual.

Segundo o Financial Times, as empresas conversam com a GSMA, associação que controla o sistema telefônico GSM, usado pela maioria das operadoras de telefonia no mundo. O objetivo é a criação do E-SIM, que, de forma resumida, permite que o usuário troque a operadora do celular sem precisar trocar o chip do seu aparelho.

A sigla E-SIM se refere a “embedded SIM”, cuja tradução seria “SIM incorporado”. O nome dá a entender que o usuário não teria mais acesso ao chip do celular. No entanto, isso também não seria necessário, já que você pode trocar de operadora sem precisar mexer no seu smartphone.

O primeiro passo já foi dado pela Apple há pouco tempo, com o iPad Air 2. Nos EUA, é possível optar pelo Apple SIM, uma solução própria para o cartão SIM virtual. No entanto, o impacto na indústria não foi muito grande, e as operadoras não abraçaram a ideia.

O E-SIM não deve ser um padrão imediato, e o chip tradicional deve continuar sendo dominante por algum tempo, porque ele ainda é muito usado no mundo todo. No entanto, várias grandes operadoras já estão no barco, como AT&T, Deutsche Telekom, Etisalat, Hutchison Whampoa, Orange, Telefónica, Vodafone. Se mais fabricantes e operadoras decidirem apoiar o padrão, o chip SIM como conhecemos hoje deve morrer em alguns anos.

Samsung anuncia o Galaxy A8, seu smartphone mais fino

20150714113119_660_420

A Samsung anunciou nesta terça-feira o Galaxy A8, smartphone mais fino já lançado pela coreana e um dos Androids com menor espessura, medindo 5,9 milímetros. O dispositivo tem tela super AMOLED de 5,7 polegadas com resolução de 1920×1080 pixels, processador Snapdragon 615 octa-core de 1,5 GHz, 2 GB de memória RAM e 16 GB de armazenamento interno, com possibilidade de expansão para 32 GB.

O Galaxy A8 tem câmera traseira de 16 megapixels e frontal de 5 megapixels, conectividade 4G, 3G, Wi-Fi, NFC e Bluetooth 4.1, bateria de 3050 mAh e roda a versão 5.1 Lollipop do Android. Por enquanto, o smartphone estará disponível apenas para consumidores da China. Não há informações sobre preços e disponibilidade do aparelho.

Confira mais imagens do celular:

Reprodução
Reprodução

Reprodução
Reprodução

 

Samsung está desenvolvendo tela para celulares com 11K de resolução

Samsung_Galaxy_Mega_1

A Samsung trabalha com o governo coreano no desenvolvimento de telas para dispositivos móveis com resolução 11K. Isso mesmo, 11K, que traria nada menos que 2.250 pixels por polegada.

Se os 11K forem aplicados a um display 16:9, a resolução será de 11.264 x 6.336 e a tela terá 5,75″, segundo cálculos do PhoneArena. Essa densidade de 2.250 ppi é quatro vezes superior à das telas Quad-HD, que podem chegar a 576 ppi.

O interesse da Samsung na história é o de implementar um “efeito 3D”, que seria atingido graças a essa quantidade absurda de pixels juntos por meio de algum tipo de ilusão óptica.

O governo investirá US$ 26,5 milhões no projeto, chamado de EnDK, pelos próximos cinco anos. Existem 13 empresas empenhadas na ideia, que começou a sair do papel em 1º de junho. Um protótipo será revelado em 2018 e o primeiro smartphone 11K pode chegar ao mercado no ano seguinte.

Samsung anuncia o primeiro SSD com 2 TB de armazenamento

Samsung_SSD_850_EVO_hand

A Samsung revelou nesta segunda-feira, 6, o primeiro SSD de 2 terabytes de armazenamento. A empresa expandiu tanto a linha 850 PRO e a 850 EVO com a nova capacidade. Com isso, o line-up de SSDs da companhia coreana varia entre 120 GB e os 2 TB.

A empresa coreana diz que começou a perceber uma demanda por SSDs de 500 GB e de maior capacidade, o que motivou a ampliar sua linha de produtos de alta densidade de armazenamento.

O novo SSD será oferecido inicialmente em 50 países, contando com a tecnologia 3D V-NAND. A chegada de um modelo tão espaçoso mostra que a tecnologia dos discos de estado sólido está começando a se aproximar do HD tradicional, pelo menos em armazenamento.

No entanto, apesar de a capacidade do SSD estar se aproximando do HD, o preço ainda é muito discrepante. A Samsung fala no valor sugerido de US$ 1 mil pelo modelo 850 PRO de 2 TB, enquanto o 850 EVO de 2 TB sairá por US$ 800.

A diferença entre o Pro e o Evo, é que o primeiro promete um desempenho um pouco melhor com muito mais durabilidade e maior garantia da fabricante, de 10 anos. Por isso, o Evo, com garantia de apenas 5 anos, é um pouco mais barato, para o cliente que procura um custo-benefício um pouco melhor.

Samsung é processada por excesso de apps pré-instalados em celulares

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Há muito tempo a Samsung leva a fama de encher seus smartphones com aplicativos desnecessários que não podem ser desinstalados, os famosos “bloatwares”. Agora, pelo menos na China, a companhia deve responder judicialmente por isso, graças a uma ação movida por um grupo de proteção ao consumidor no país.

Como explica o jornal Shanghai Daily, a Comissão de Proteção aos Direitos do Consumidor de Xangai moveu ações não apenas contra a Samsung, mas também contra a chinesa Oppo, pelo mesmo motivo.

A reclamação é que estas empresas vendem celular com aplicativos pré-instalados que são difíceis ou impossíveis de desinstalar, o que incomoda o consumidor.

Apesar de as duas empresas terem sido escolhidas para serem alvos da ação do grupo chinês, quem conhece o Android sabe que elas não são as únicas a adotarem esta prática. No entanto, o estudo com 20 aparelhos percebeu que as duas eram as piores transgressoras. O Galaxy Note 3, por exemplo, saía de fábrica com 44 apps pré-instalados, enquanto o Oppo X9007 tinha 71.

A organização espera com a ação forçar as fabricantes a dizer na embalagem o que está pré-instalado nos aparelhos e oferecer informações detalhadas de como removê-las.

Samsung promete bateria de grafeno com o dobro da duração

smartphone-accu

A Samsung anunciou o desenvolvimento de um novo sistema estrutural de baterias – essas mesmas que utilizamos nos nossos smartphones e duram em média 8 horas – utilizando o grafeno e silício. Essa nova combinação de elementos quando inserida na cadeia de produção pode duplicar a densidade de energia de baterias utilizadas em smartphones e outros dispositivos. O resultado da pesquisa foi publicada na Revista Nature, a publicação de maior respaldo no âmbito das novas descobertas científicas.

O grafeno é uma das formas cristalinas do carbono. Forte, leve e excelente condutor de energia e calor, ele já é utilizado como componente em microprocessadores e outros dispositivos eletrônicos, pois sua maleabilidade e versatilidade permite ser utilizado em várias escalas na cadeia de produção de produtos eletrônicos.

Entretanto, inserir silício na cadeia de produção das atuais baterias, cujo sistema é baseado na atividade dos íons de lítio, sempre foi um desafio, pois a constante mudança de volume do material entre os ciclos de carga e descarga tornava a presença do silício e inviável nas baterias, mesmo sendo o condutor ideial nesses casos.

Tudo indica que a empresa sul-coreana conseguiu resolver esse problema. A solução, segundo o estudo sobre o projeto publicado na Nature, foi criar uma capa protetora para o material utilizando o próprio grafeno. Com isso, as partículas de silício continuam agrupadas e inertes à variação de volume.

Tudo isso resultou num dispositivo capaz de armazenar e conduzir até 1,8 mais vezes que as tradicionais, ampliando assim a densidade energética dos mais tradicional sistema de armazenamento de energia para dispositivos eletrônicos. Ainda não há sinalização da Samsung de quando a nova tecnologia chegá ao mercado.