Com iPhone vermelho e iPad renovado, Apple dá início a seus lançamentos…

Apple anunciou edição limitada do iPhone 7 vermelho…

 

 

Há um ano,  a Apple lançava em um evento o iPhone SE, versão com tela pequena de seu famoso smartphone. Mas sem estardalhaço neste ano, a marca norte-americana soltou nesta terça-feira (21) uma série de pequenas novidades para seus consumidores. As principais estão na linha iPhone: o 7 ganhou uma versão vermelha em edição especial, enquanto o SE dobrou de armazenamento interno: 128 GB ou 256 GB.

E ainda mais discretamente, o iPhone SE apareceu no site oficial com mais memória interna, em versões com 32 GB por R$ 2.499, e 128 GB por R$ 2.899 –antes traziam 16 GB e 64 GB.

– Veja mais em https://noticias.bol.uol.com.br/ultimas-noticias/tecnologia/2017/03/21/iphone-vermelho-e-ipad-renovado-sao-primeiras-novidades-da-apple-neste-ano.

Novos modelos de iPad foram anunciados sem alarde pela Apple

iPad com tela mais brilhante

Já fazia quase dois anos que a Apple não atualizava a linha iPad. Pois essa atualização chegou, mas ainda tímida. O iPad Air ganhou uma tela Retina “mais brilhante”, o que a tornaria de mais fácil leitura –mas a empresa não detalha o quão brilhante é em relação à versão anterior. E o processador também mudou: sai o A8X, entra o A9, o mesmo dos iPhones 6S.

O iPad Mini 4 sofreu a mesma alteração do iPhone SE: apenas limou quase todas as versões de armazenamento interno, restando só a com 128 GB. O modelo Wi-Fi custa R$ 2.999; o modelo Wi-Fi + 4G sai por R$ 3.699.

Clip, app da Apple que permite criar vídeos animados com filtros

App misterioso

Outra novidade do dia foi o Clips, um aplicativo novo que segundo a descrição, faz vídeos e fotos com filtros estilosos e textos divertidos para serem compartilhados nas redes sociais. Será mais um clone do Snapchat a caminho, mas desta vez pelas mãos da Apple?

Como o app ainda não está disponível –só chega em abril– só ficamos com as imagens de divulgação, que têm uma pegada colorida e jovem.

O CABO ESTRAGADO DO IPHONE PODE SER SUBSTITUÍDO DE GRAÇA

apple-com-cabo-quebrado-mgssolucoes

Os cabos do iPhone vivem dando problemas. Fato!

Mas saiba que se teu cabo do carregador, fones de ouvido ou cabo lightning apresentar qualquer tipo de “zica”, você tem o direito de trocá-lo por um novinho em folha, ou melhor, “novinho em fio”.

Todos esses cabinhos podem ser trocados gratuitamente por novos, desde que estejam ainda no prazo de garantia, ou seja, precisam ser originais. Tanto os que acompanham um outro produto, como celulares ou tablets, como os comprados individualmente, devem ser substituídos na hora pela loja oficial ou pela assistência técnica autorizada da Apple.

Para fazer a troca, basta levar em um desses locais a nota fiscal, embalagem do produto e o cabo com defeito. Mas certifique-se de que ainda esteja no prazo de validade e de se tratar de um cabo original da Apple.

Se você está com problemas com seus cabos ou fones, procure a loja ou assistência técnica autorizada Apple mais próxima de você.

A troca deverá ser feita na hora em qualquer loja Apple autorizada.

Redação – SOS Solteiros

Brecha no Android deixa mais de um bilhão de aparelhos vulneráveis

bug_android

O fator mais preocupante é a quantidade de aparelhos equipados com o sistema Android que estão vulneráveis no mundo todo.

A companhia ressalta que o bug possui origem no Kernel 3.6 do Linux, sistema utilizado para construir todas as versões do Android a partir do Android 4.4.

Uma notícia preocupante para os usuários Android: cerca de 80% dos aparelhos equipados com o sistema podem contar com uma falha que deixa o telefone vulnerável a códigos maliciosos. Assim sendo, através da brecha é possível “sequestrar” um aparelho e ter acesso a todo o conteúdo

No total, 1,4 bilhão de smartphones e tablets podem estar desprotegidos atualmente. O alerta foi dado pela empresa de segurança móvel Lookout, que é responsável pelo antivírus que leva o mesmo nome para Android e iPhone (iOS). A companhia ressalta que o bug possui origem no Kernel 3.6 do Linux, sistema utilizado para construir todas as versões do Android a partir do Android 4.4 (KitKat), incluindo o Android 7.0 Nougat, que será lançado ainda neste ano.

Através da vulnerabilidade, por exemplo, um hacker poderia descobrir em qual servidor o aparelho está conectado. Caso a conexão não seja criptografada, o invasor pode ainda enviar um script malicioso e infectar o aparelho. A brecha não é tão fácil de ser explorada, porém, o que realmente preocupa é a grande quantidade de aparelhos vulneráveis no mundo, bem como pelas várias possibilidades de problemas que pode ocasionar.

 

Um representante do Google disse ao site Ars Technica que há engenheiros da empresa já são conhecedores do bug e “estão tomando as medidas apropriadas”. Com isso, é bastante provável que o Android 7.0 Nougat já saia de fábrica com a correção do bug.Post completo em:

https://www.oficinadanet.com.br/post/17102-brecha-no-android-deixa-mais-de-um-bilhao-de-aparelhos-vulneraveis

O conteúdo do Oficina da Net é protegido sob a licença Creative Commons (CC BY-NC-ND). Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o CONTEÚDO ORIGINAL e não faça uso comercial de nossa produção.

Apple abre loja no aeroporto de Guarulhos com preços mais baixos

dscn6737

Quer comprar um iPhone no Brasil, mas pagar mais barato do que nas revendas oficiais? Basta fazer uma viagem internacional. Parece absurdo, mas é real. Isso acontece porque a Apple abriu uma loja no terminal 3 do Aeroporto Internacional de Guarulhos, que vende o iPhone a preços menores do que os oficiais.

Inaugurada no último dia 15 em parceria com a Dufry, operadora do free shop do aeroporto, a loja traz preços um pouco mais altos do que os cobrados nos Estados Unidos, mas ainda bem menores do que os praticados no Brasil, mesmo com a cotação do dólar bastante desfavorável.

Um exemplo é o iPhone 6 de 16 GB, o modelo mais barato. Ele é oferecido nos EUA por US$ 650 e impostos adicionais que variam de estado para estado. Na loja do aeroporto, ele será vendido por US$ 735, ou algo em torno de R$ 2,5 mil. Como aponta a Folha de S. Paulo, o valor é 27% inferior ao cobrado pela própria Apple em seu site oficial no Brasil.

Outro exemplo é o iPhone 6 Plus de 16 GB, vendido na nova loja por US$ 850, enquanto nos EUA ele sai por US$ 750 mais impostos. Assim, o aparelho sai por cerca de R$ 3 mil, o que é 30% mais barato do que o sugerido pela Apple em seu site oficial nacional.

Resta saber se será possível manter-se operando livremente. No ano passado, a FNAC do aeroporto prometeu vender eletrônicos livre de tributos, o que acabou barrado pela burocracia com a Receita Federal.

Apple corta o preço de 100 aplicativos na App Store

Appstore1

Para tentar impulsionar a venda de aplicativos na App Store, a Apple lançou a promoção “100 apps & games at new low prices”. Na tradução literal, são 100 aplicativos e games que ganharam preços mais baixos para venda online.

A promoção abrange grandes títulos que fizeram sucesso no sistema iOS com preço único: US$ 0,99 – uma estratégia bem conhecida da empresa de Tim Cook. Levando em conta que alguns dos aplicativos disponíveis são vendidos fora da promoção a cerca de US$ 5.

Ou seja, vale a pena dar uma fuçada na lista, quem sabe aquele tão almejado aplicativo, mas que custava os olhos da cara, agora possa caber no seu bolso – literalmente.

Entre os aplicativos em promoção por US$0,99 estão o Pixelmator, um bom editor de imagens para iPad que custa em média US$ 5, o Facetune, um editor de selfies que também beira a casa dos US$ 5, Angry Birds, Real Racing 2, o jogo premiado LIMBO e o lançamentoGoat Simulator (originalmente vendido a US$ 5 também) para iPhone.

Clique aqui para acessar a App Store no smartphone e confirir a nova promoção da Apple.

Apple e Samsung se unem para matar o chip de celular

20150716152935_660_420

O SIM card está morrendo, e sua falta provavelmente não será sentida. Depois de anos diminuindo progressivamente de tamanho, Apple e Samsung, as duas maiores fabricantes de smartphones no mundo, estão discutindo com a indústria de telecomunicações o fim do tradicional chip, que dará lugar a uma solução virtual.

Segundo o Financial Times, as empresas conversam com a GSMA, associação que controla o sistema telefônico GSM, usado pela maioria das operadoras de telefonia no mundo. O objetivo é a criação do E-SIM, que, de forma resumida, permite que o usuário troque a operadora do celular sem precisar trocar o chip do seu aparelho.

A sigla E-SIM se refere a “embedded SIM”, cuja tradução seria “SIM incorporado”. O nome dá a entender que o usuário não teria mais acesso ao chip do celular. No entanto, isso também não seria necessário, já que você pode trocar de operadora sem precisar mexer no seu smartphone.

O primeiro passo já foi dado pela Apple há pouco tempo, com o iPad Air 2. Nos EUA, é possível optar pelo Apple SIM, uma solução própria para o cartão SIM virtual. No entanto, o impacto na indústria não foi muito grande, e as operadoras não abraçaram a ideia.

O E-SIM não deve ser um padrão imediato, e o chip tradicional deve continuar sendo dominante por algum tempo, porque ele ainda é muito usado no mundo todo. No entanto, várias grandes operadoras já estão no barco, como AT&T, Deutsche Telekom, Etisalat, Hutchison Whampoa, Orange, Telefónica, Vodafone. Se mais fabricantes e operadoras decidirem apoiar o padrão, o chip SIM como conhecemos hoje deve morrer em alguns anos.

Os 15 melhores recursos do iOS 9

ios9-logo-poging2-16x9

Na semana passada a Apple lançou uma versão beta pública do iOS 9. A atualização traz uma série de novidades, como um app de notícias, novos recursos multitarefa e uma assistente pessoal mais inteligente.

Confira abaixo 15 recursos interessantes do novo sistema da Apple:

1. Sugestões de pesquisa
O novo menu de pesquisas do iOS funciona de uma maneira bem parecida com o Google. Ao deslizar para a direita na tela inicial o usuário receberá ainda um conjunto personalizado de recomendações de apps e notícias, com base nos hábitos e na hora do dia.

2. Troca de apps
A tela de troca de apps agora fica na vertical, o que torna mais fácil alternar as janelas e mostra de maneira mais dinâmica o que está aberto. O recurso também removeu os atalhos de contatos que ficavam na parte superior da tela.

3. Siri: questões contextuais
O iOS 9 trouxe mudanças à Siri. Agora a assistente consegue responder perguntas fazendo pesquisas na web. É possível ainda dar sequência às perguntas, obtendo respostas com base nas questões anteriores.

4. Siri: melhoria nas pesquisas
A Siri também está muito melhor na pesquisas de conteúdos do smartphone. Ela é capaz de responder rapidamente a solicitações como “me mostre fotos de junho do ano passado”.

5. App de notas
O app de notas conta com uma série de novas opções de formatação. É possível adicionar fotos, mapas e até rabiscos aos textos escritos.

6. Mapas
A Apple está começando a trazer rotas de transporte público para o seu aplicativo de mapas. Por enquanto, a novidade está disponível apenas nas cidades de São Francisco, Nova York, Washington, Baltimore, Chicago e Filadélfia, nos Estados Unidos, mas deve ser expandida a outros locais em breve.

7. Busca no app de mapas                                                                                                                                 A busca dentro dos mapas também foi modificada, trazendo novas sugestões de pesquisa por pontos de interesse, dependendo da localização do usuário.

8. Notícias                                                                                                                                                         Com base nas escolhas de veículos e editorias de interesse do usuário, o app consegue realizar uma curadoria e sugerir histórias. O aplicativo também é capaz de recomendar textos com base nas notícias lidas e, de acordo com a apple, fica mais apurado com o passar do tempo.

9. Menu de configurações
O menu de configurações agora é pesquisável. Agora basta digitar o item que deseja ajustar para ir diretamente para ele.

10. Menu de notificaçõesAo invés de organizar notificações por aplicativo, o iOS 9 exibe as notificações cronologicamente.

11. Pesquisa mais inteligenteAlém de pesquisar o conteúdo do seu telefone e realizar pesquisas básicas na web, a busca pode também realizar cálculos e conversões simples.

12. Álbum de selfies
As fotos contam agora com um álbum com todas as selfies tiradas pelo usuário.

13. TecladoO teclado nativo do iOS agora mostra as letras em maiúsculas e minúsculas, de acordo com o que está selecionado. Apesar de ser uma pequena mudança, é possível notá-la imediatamente.

14. Navegação entre aplicativos
Este recurso funciona como uma espécie de botão “voltar”. Ao alternar entre aplicativos, o sistema oferece um menu de navegação no canto superior esquerdo que permite voltar para o app anteriro.

15. Sugestões de aplicativos
No iOS 9, a Siri passa a oferecer automaticamente sugestões de apps, com base nos hábitos e horários do usuário.

Apple libera versão beta do iOS 9

ios-9-825x510

A Apple liberou hoje a versão beta pública do iOS 9 para os usuários. Essa é a primeira versão de testes do sistema, liberada tanto para desenvolvedores quanto para usuários. Entre as novidades estão melhorias no consumo de bateria, no teclado, adição de rotas de transporte público no app de mapas e uma assistente pessoal mais assertiva.

Como instalar?

Quem desejar testar o ios 9 deve acessar o site de softwares de teste da empresa e se logar com uma conta do iCloud. A atualização pesa 213 MB e, caso não haja espaço disponível, a Apple pergunta se pode apagar alguns apps. A empresa ressalta que eles reaparecerão depois que a instalação for concluída. Depois de confirmar e autenticar a instalação, basta aguardar o download.

Atenção: Uma versão beta pode apresentar bugs e travamentos no sistema. Certifique-se de que realmente deseja instalar o ios 9. A própria Apple sugere que o beta seja instalado em dispositivos secundários.

Experimento testa resistência de iPhones com tiro de metralhadora; veja

20150706123547_660_420

Testes exóticos onde a resistência de aparelhos eletrônicos é colocada à prova se tornaram comuns no mercado de tecnologia. Inclusive, existe um programa famoso entre os usuários norte-americanos no YouTube que coloca dispositivos eletrônicos num liquidificador super-resistente, o Will it Blend. Entretanto, analistas do canal EverythingApplePro levaram esse tipo de teste ao patamar bélico: utilizaram uma AK-47 para testar a resistência dos smartphones da Apple.

Com teor humorístico, o vídeo desvenda quantos iPhones são necessários para parar um tiro de fuzil. Veja no vídeo abaixo quantos dispositivos foram utilizados. Uma dica: o experimento gastou cerca de R$ 24 mil em celulares:

Apple Liderou esquema de precificação de livros

5e87a-apple-says-it-doesn-t-grant-the-us-government-accesses-to-its-servers

Um Tribunal Federal de Apelação nos Estados Unidos acolheu uma decisão judicial que aponta a Apple como líder de uma conspiração envolvendo editoras de livros com o objetivo de elevar os preços de livros digitais, os e-books. Por dois votos contra um, o tribunal da segunda circunscrição concordou com as conclusões da juíza Denise L. Cote, do tribunal distrital de Manhattan, publicada em 2013

“Concluímos que a decisão do tribunal distrital de que a Apple orquestrou um esquema horizontal entre as editoras rés para aumentar preços de e-books é amplamente apoiada e bem fundamentada, e que o acordo restringe o mercado”, escreveu a corte de apelações na sua decisão.

No caso, originado em 2012, o Departamento de Justiça americano acusou a Apple e outras cinco editoras de conspirar para elevar preços dos produtos digitais para nível acima do padrão da Amazon – que lidera o mercado nos EUA – para títulos novos, de US$ 9,99. A ideia, afirmou o governo, era garantir que as editores pudessem definir seus próprios preços, em vez de deixar para que varejistas o fizessem.

Quando a Apple entrou no mercado de e-books, ela mudou a forma como as editoras vendiam livros ao introduzir um modelo chamado “agency pricing”, na qual a editora – e não o varejista – define um preço, e a Apple ganha uma parte de cada venda. O Departamento de Justiça argumentou que isso obrigou a Amazon.com a também aumentar os preços.

A Apple brigou na justiça contra a acusação em 2013 e perdeu depois de um julgamento que durou um mês. As palavras de Steve Jobs, cofundador da empresa que morreu em 2011, revelaram-se prejudiciais para a empresa. Um e-mail escrito por Jobs sobre o modelo de precificação foi frequentemente usado durante o julgamento.

No texto, enviado a Eddy Cue, vice-presidente da Apple para software e serviços de internet, Jobs faz uma afirmação sobre os contratos negociados com as editoras: “Eu posso viver com isso, contanto que eles façam com que a Amazon também adote o modelo para lançamentos logo no primeiro ano. Se não conseguirem, não tenho certeza de que podemos ser competitivos.

Em sua decisão, a juíza Cote disse que frases de Jobs deixaram claro que ele sabia que as editoras estavam infelizes com o preço de US$ 9,99 cobrado pela Amazon e que a entrada da Apple nesse mercado permitiria que os preços subissem.

“A Apple tem lutado fortemente para reinterpretar as afirmações de Jobs”, disse a juíza. “Esses esforços se provaram infrutíferos.”

Em um comunicado, a Divisão Antitruste do Departamento de Justiça disse que Tim Cook, o atual presidente da companhia, chamou o caso de “bizarro”. “A Apple não conspirou para fixar o preço de livros digitais e essa sentença não faz nada para mudar os fatos”, disse Josh Rosenstock, um porta-voz da Apple, em nota. “Estamos desapontados que a corte não reconhece a inovação e poder de escolha que a loja iBooks trouxe para os consumidores. Embora queiramos deixar esse caso para trás, o caso é sobre princípios e valores. Sabemos que não fizemos nada de errado.”