Samsung anuncia novos SSDs de alta capacidade que ‘nunca morrem’

Drives usam tecnologia que identifica módulos com problema e move arquivos para evitar perda de dados

A Samsung anunciou os novos SSDs PM1733 e PM1735, divididos em 19 versões. Os modelos prometem durar “para sempre”, graças à tecnologia FIP (fail-in-place, em inglês). O recurso permite aos componentes identificar falhas e substituir o local onde os arquivos são armazenados. Dessa forma, caso algum módulo esteja com problemas, o próprio dispositivo move os arquivos antes que o mesmo pare de funcionar.

Além disso, a velocidade de leitura e gravação também chama atenção, podendo chegar a 8.000 MB/s e 3.800 MB/s, respectivamente. Os produtos vão chegar com alta capacidade, indo de 800 GB a 30,72 TB, e serão destinados, em um primeiro momento, a data-centers e servidores.

Drives podem resistir a módulos com problema e usam recurso que evita a perda de dados — Foto: Divulgação/Samsung

A promessa de alta durabilidade e sistema de prevenção de falhas é crucial para uso em servidores. Esse tipo de sistema normalmente é submetido a estresse intenso, algo que pode comprometer a integridade de dados e até mesmo a durabilidade dos armazenamentos instalados. Vale destacar, no entanto, que a promessa de um drive que “nunca morre” da Samsung tem mais a ver com a garantia de que o componente continuará funcionando mesmo se houver alguma falha, e não que será à prova de falhas ou de desgaste.

Com tecnologia PCIe 4.0, os SSDs da marca também despontam com números de performance elevados. Para gravação sequencial de dados, os drives podem chegar a 3.800 MB/s, enquanto a leitura bate a faixa de 6.400 MB/s nos modelos de formato U.2 e de 8.000 MB/s nos dispositivos com formato de card (2.5).

Também no formato card, drives são destinados a servidores e data-centers — Foto: Divulgação/Samsung

Além da tecnologia que contorna possíveis problemas nos módulos de armazenamento para preservar dados, os drives contam com funcionalidades avançadas. Uma delas é a possibilidade de fracionar um dispositivo em até 64 SSDs virtuais. Outro destaque é a inteligência artificial aplicada para monitorar a operação do disco, reforçando a garantia de que os dados ficam sempre seguros.

Com foco em servidores, os produtos ainda não tiveram preços revelados. De qualquer forma, o uso da tecnologia que aumenta a durabilidade dos armazenamentos pode ser um marco para que o recurso apareça em SSDs voltados para o usuário final no futuro.

Fonte: https://www.techtudo.com.br/noticias/2019/09/samsung-anuncia-novos-ssds-de-alta-capacidade-que-nunca-morrem.ghtml

6 Pastas e Arquivos que você nunca deve deletar do Windows

Apagar certos arquivos pode comprometer o funcionamento do sistema operacional

O Windows é formado por centenas de pastas e milhares de arquivos que são distribuídos pelo seu computador. Boa parte desse conteúdo é vital para o funcionamento do sistema operacional da Microsoft. Alguns destes arquivos sequer ficam na pasta “Windows”, e isso enfatiza a necessidade de ter cuidado na hora de apagar algo para liberar espaço no computador.

Abaixo, vamos listar pastas e arquivos que você não deve apagar ou mesmo alterar, como a famosa System32 e bibliotecas DLL, sob pena de ter muita dor de cabeça ao ter que reinstalar o sistema e fazer backup dos seus dados.Conheça arquivos que não devem ser apagados no Windows — Foto: Divulgação/Microsoft

1. System32

System32 é uma pasta essencial para que o Windows funcione — Foto: Reprodução/Barbara Mannara

Pasta famosa por aparecer em brincadeiras de mal gosto da Internet, que sugerem às vítimas deletá-la para deixar o PC mais rápido, a System32 é um dos componentes centrais do Windows. É nela que o sistema operacional abriga alguns arquivos executáveis de programas nativos, como Bloco de Notas e Calculadora, além de arquivos vitais para que uma série de recursos funcionem corretamente, da reprodução de som à exibição de imagens na tela.

Apagar a System32 irá deixar o sistema instável e impedirá o usuário de acessá-lo depois de reiniciar o computador. Para corrigir o problema, só restaurando o Windows ou reinstalando o sistema completamente.

2. System Volume Information

Localizada na raiz da unidade C:, a pasta System Volume Information serve a diversos propósitos: ela guarda pontos de restauração do sistema, dados sobre os discos e partições instaladas no computador e recursos para backup dos seus dados.

Oculta por padrão, a pasta não pode ser acessada normalmente — por bons motivos. Se você interferir nos seus conteúdos, o sistema pode perder a habilidade de realizar buscas rápidas de arquivos e apps instalados, perder a capacidade de restaurar seu sistema em caso de algum incidente e mesmo comprometer a integridade de seus backups.

astas guardam aplicativos e seus componentes — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

Arquivos de Programas é a pasta em que os aplicativos vão instalados por padrão. Nela estão os executáveis e arquivos de apoio que permitem que os diferentes softwares que você têm instalados no computador funcionem corretamente. Se você tentar removê-la, simplesmente perderá a capacidade de rodar boa parte daquilo que está instalado no seu computador.

Como essa não seria uma forma “limpa” de remover aplicativos, seriam deixados recursos desses programas no sistema, algo que pode comprometer a performance geral do Windows e obrigar o usuário a uma formatação para colocar tudo em ordem.

4. Arquivos DLL

Arquivos DLL são peças importantes para o funcionamento do Windows — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

De uma forma resumida, um arquivo DLL é um conteúdo que oferece uma série de recursos e instruções que podem ser usadas por softwares que rodam no seu computador. Um mesmo arquivo DLL pode ser encarregado de gravar dados no disco e ser usado pelo navegador de Internet quando você baixa um arquivo, pelo game que você curte quando salva seu progresso ou mesmo pelo Word na hora de salvar um documento.

Isso significa que os DLL são componentes essenciais para que o Windows funcione corretamente. Remover algum arquivo deste tipo pode impedir que partes do sistema desempenhem suas tarefas ou mesmo comprometer o funcionamento de apps.

5. Pagefile.sys e Swapfile.sys

pagefile.sys e swapfile.sys são parte da gestão de memória e disco do Windows — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

A extensão .sys vem de “system” (sistema, em inglês) e isso, por si só, já devia servir de indicativo para não mexer com o arquivo. O pagefile.sys é o arquivo em que o Windows guarda dados quando não há mais espaço na memória RAM. Suponha que seu computador tem 2 GB de memória e você já ocupou todo esse espaço. Se precisar guardar mais coisas, o Windows desloca esses dados para o pagefile.sys. Sem ele, seu computador deve começar a travar quando a memória RAM esgotar.

O swapfile.sys é parecido. Ele é usado pelo Windows para preservar dados na memória RAM quando o computador entra em hibernação. Sem o swapfile.sys, você perderia dados toda vez que voltasse ao PC depois de tê-lo deixado em descanso.

 

Veja como limpar arquivos inúteis que se acumulam no Android

3d illustration of a Google Android logo inside the center of a large gear over a metal surface

Armazenamento é um recurso preciosíssimo nos smartphones de hoje, e normalmente ele é escasso. Todos podem se beneficiar de um pouco mais de espaço livre, mas nem todos tem um slot para cartão microSD. A solução, neste caso, é fazer a limpeza de arquivos inúteis para  ganhar um pouco mais de liberdade para gerenciar seus arquivos.

Há vários modos de limpar o armazenamento do seu celular, com alguns apps especializados. A maioria deles mira principalmente a limpeza do cache, arquivos que ficam guardados para que sites ou aplicativos sejam abertos com mais agilidade depois do primeiro acesso.

Confira as dicas:

Avast Cleanup
Um novo app do Avast para liberar o espaço. Ele analisa o armazenamento do seu celular para avaliar arquivos inúteis que possam ser apagados sem danos ao usuário. Ele também faz uma varredura avançada, permitindo até mesmo desinstalar aplicativos inteiros que estejam ocupando mais espaço do que deveriam.

Reprodução

Clean Master
Uma boa alternative ao Avast Cleanup que mostra o consumo do espaço em disco do seu celular. Ele faz uma varredura para detectar arquivos considerados “lixo” que se acumulam no seu aparelho. Dependendo do tempo passado desde sua última limpeza, o volume destes arquivos pode chegar à casa dos gigabytes.

Reprodução

DiskUsage
Um recurso mais avançado para visualizar graficamente o que está mais ocupando espaço no seu celular, similar ao utilíssimo WinDirStat para os PCs com Windows. Ele faz o scan do seu aparelho e mostra blocos que mostram proporcionalmente o que mais usa o armazenamento do seu aparelho. Selecione um dos blocos e pressione o botão Show para obter mais informações.

Reprodução

Como fazer isso sem nenhum aplicativo
Entre nas Configurações do seu aparelho e acesse a opção Armazenamento. O Android possui ferramentas que listam o que mostram onde você está gastando a maior parte do espaço do aparelho e oferece as alternativas para que você mesmo faça a limpeza.

Pressionando Dados em Cache, o sistema questionará se você quer limpar o cache do aparelho. Apenas confirme e a limpeza será feita.

Você também pode acessar a opção Dados de apps e conteúdo de mídia. A página mostra quais aplicativos estão ocupando mais espaço no seu aparelho. No meu caso, como é possível ver no exemplo abaixo, é o Google Play Música, que, além do app, tem alguns gigabytes de música armazenados.

ReproduçãoReproduçãoReprodução

Se eu quisesse, eu poderia limpar rapidamente todos os dados vinculados ao Google Play Música. Basta pressionar seu nome na lista de apps e, na nova página, selecionar Limpar Dados. Você pode repetir o procedimento com qualquer app que esteja ocupando mais espaço do que você acha que deveria.