Windows COEM pode regularizar equipamentos com sistema pirata?

23426426_1GG

Essa pergunta surgiu em um de nossos clientes, o fornecedor do sistema de automação comercial deles sugeriu uma licença Windows 10 Pro 64 bits COEM (SKU FQC-08932) como a forma mais acessível para regularizar um computador com 06 anos de idade que rodava Windows 7 Pro 64 bits irregular. A alegação é que essa licença, é uma novidade lançada pela Microsoft destinada a computadores usados com Windows pirata.

“É preocupante como proprietários e gestores de empresas brasileiras de qualquer porte, ainda são inocentes e frágeis quando o assunto é tecnologia…”

O que é COEM?

De fato o licenciamento COEM é algo novo no portfólio de licenças Microsoft, por isso fomos atrás de respostas:

  1. Primeiro, pesquisamos na internet em fóruns e páginas do fabricante, não encontramos nenhuma informação, nada documentado sobre isso e textos vagos e confusos fornecidos pela Microsoft.
  2. Na sequência entramos em contato com distribuidores Microsoft no Brasil, todos desconheciam tal licença.
  3. Em terceiro, sites de e-commerce como KaBuM! dizem assim: “Windows COEM só funcionará com Notebook e PCs novos sem windows, ou que nunca tenham tido Windows instalado, ou se adquirido junto a partes e peças para montagem de um computador novo.
  4. A solução foi ir direto à fonte, ligamos para a Central de Parceiros Microsoft Brasil, como parceiros certificados temos canal direto e rápido para dúvidas técnicas e comerciais.

Para nossa surpresa, esse tipo de licença foi novidade inclusive para o técnico Microsoft que nos atendeu, obrigando-o a contactar o seu supervisor para poder responder às nossas perguntas. A conclusão foi que essa licença só pode ser aplicada em equipamentos novos ou equipamentos que nunca tiveram um sistema operacional instalado (isso inclui qualquer versão de Windows, Linux ou outro S.O.), o fato dela ser COEM permite apenas que ela possa ser vendida separadamente do equipamento, podendo vir numa nota fiscal separada do equipamento, essa é a única diferença da tradicional e amplamente conhecida licença OEM, que só pode ser comercializada junto a computadores novos.

É preocupante como proprietários e gestores de empresas de qualquer porte no Brasil, ainda são inocentes e frágeis quando o assunto é tecnologia, colocando seus negócios em risco baseando decisões em conselhos e consultorias de falsos experts em TI, muitas vezes não para economizar mas sim por falta de conhecimento.

Desfecho

Ao final, aquele fornecedor do sistema, com toda confiança, ainda garantiu conseguir uma nota fiscal que tornasse o sistema totalmente legítimo, bastando inserir um item de hardware na tal nota. Não precisamos dizer que essa prática, conhecida e comum no mercado, não legaliza o equipamento que receberá a licença, permanecendo o status de sistema pirata, porém isso é assunto para um próximo post.

Se você ou sua empresa tem dúvidas sobre legalização de software, qual a forma mais prática e acessível, entre em contato conosco, temos experiência no assunto e será um prazer atendê-lo.  11 4112-5211 whastApp.