Samsung anuncia novos SSDs de alta capacidade que ‘nunca morrem’

Drives usam tecnologia que identifica módulos com problema e move arquivos para evitar perda de dados

A Samsung anunciou os novos SSDs PM1733 e PM1735, divididos em 19 versões. Os modelos prometem durar “para sempre”, graças à tecnologia FIP (fail-in-place, em inglês). O recurso permite aos componentes identificar falhas e substituir o local onde os arquivos são armazenados. Dessa forma, caso algum módulo esteja com problemas, o próprio dispositivo move os arquivos antes que o mesmo pare de funcionar.

Além disso, a velocidade de leitura e gravação também chama atenção, podendo chegar a 8.000 MB/s e 3.800 MB/s, respectivamente. Os produtos vão chegar com alta capacidade, indo de 800 GB a 30,72 TB, e serão destinados, em um primeiro momento, a data-centers e servidores.

Drives podem resistir a módulos com problema e usam recurso que evita a perda de dados — Foto: Divulgação/Samsung

A promessa de alta durabilidade e sistema de prevenção de falhas é crucial para uso em servidores. Esse tipo de sistema normalmente é submetido a estresse intenso, algo que pode comprometer a integridade de dados e até mesmo a durabilidade dos armazenamentos instalados. Vale destacar, no entanto, que a promessa de um drive que “nunca morre” da Samsung tem mais a ver com a garantia de que o componente continuará funcionando mesmo se houver alguma falha, e não que será à prova de falhas ou de desgaste.

Com tecnologia PCIe 4.0, os SSDs da marca também despontam com números de performance elevados. Para gravação sequencial de dados, os drives podem chegar a 3.800 MB/s, enquanto a leitura bate a faixa de 6.400 MB/s nos modelos de formato U.2 e de 8.000 MB/s nos dispositivos com formato de card (2.5).

Também no formato card, drives são destinados a servidores e data-centers — Foto: Divulgação/Samsung

Além da tecnologia que contorna possíveis problemas nos módulos de armazenamento para preservar dados, os drives contam com funcionalidades avançadas. Uma delas é a possibilidade de fracionar um dispositivo em até 64 SSDs virtuais. Outro destaque é a inteligência artificial aplicada para monitorar a operação do disco, reforçando a garantia de que os dados ficam sempre seguros.

Com foco em servidores, os produtos ainda não tiveram preços revelados. De qualquer forma, o uso da tecnologia que aumenta a durabilidade dos armazenamentos pode ser um marco para que o recurso apareça em SSDs voltados para o usuário final no futuro.

Fonte: https://www.techtudo.com.br/noticias/2019/09/samsung-anuncia-novos-ssds-de-alta-capacidade-que-nunca-morrem.ghtml

LGPD: O que é, como vai funcionar e o que muda para sua empresa!

lgpd-vanzolini-690x503

Entenda de vez a Lei Geral de Proteção de Dados.
LGPD é a sigla adotada para designar a Lei Geral de Proteção de Dados (Lei nr 13.709) sancionada em 14 de agosto de 2018 e que entra em vigor a partir de agosto de 2020. Seu principal objetivo é garantir transparência no uso dos dados das pessoas físicas em quaisquer meios. Esta lei chega para alterar a Lei nr 12.965, de 23 de abril de 2014, popularmente chamada de Marco Civil da Internet que regulava estas transações até então.

A LGPD tem como base a GDPR, regulamentação europeia aprovada em maio do ano passado e usa os direitos fundamentais de liberdade e de privacidade como norte para estabelecer regras a respeito da coleta e armazenamento, de dados pessoais e seu compartilhamento. A intenção é proporcionar proteção dos dados das pessoas físicas contando com a penalidade de multas para motivar o seu cumprimento por parte das empresas.

O cenário que temos hoje
Atualmente, as pessoas jurídicas podem solicitar às pessoas físicas, no momento do seu cadastro para compras ou outras finalidades, uma série de dados que muitas vezes não tem a menor relação com a finalidade da empresa. E engana-se quem pensa que esses dados serão depositados apenas no seu big data.

Na verdade, muitas vezes esses dados que deveriam ser confidenciais são comercializados sem autorização do consumidor, o que resulta em uma série de incômodos aos quais infelizmente já estamos acostumados: malas-diretas, spams, telefonemas e uma série de contatos realizados por empresas para quem nunca fornecemos informações ou demonstramos qualquer interesse.

A partir do advento da nova legislação o cenário mudará, já que o proprietário dos dados deverá sinalizar seu consentimento de forma clara e as pessoas jurídicas que mesmo assim ignorarem esta prerrogativa estarão sujeitas a multas de até 50 milhões de reais. Eis aí um bom motivo para sua empresa ficar atenta aos novos procedimentos.

O que vai mudar com a nova LGPD?
A nova lei prevê em seu teor 9 hipóteses que tornam legais os tratamentos de dados. Dentre eles, 2 merecem destaque:

É necessário obter o consentimento explícito por parte do titular dos dados. Ou seja, ele deverá ser claramente informado dos termos de uso e extensão da autorização e precisa concedê-lo livremente.
A partir de agosto do ano que vem, uma empresa só poderá recolher determinados dados a partir da autorização do proprietário desses dados, ou seja, o titular. Ou seja, deverá comprovar que a sua coleta será útil para sua interação com seus consumidores.
É importante lembrar ainda que os titulares dos dados poderão a qualquer momento retificar, cancelar ou até mesmo solicitar sua exclusão.A LGPD empodera o consumidor, dando a ele controle sobre seus dados e a possibilidade de punir os responsáveis por qualquer dano causado pelo mau uso das suas informações.

Criada a partir da MP 869/18, a Autoridade Nacional de Proteção de Dados será o órgão responsável pela fiscalização da proteção de dados por parte das pessoas jurídicas. A ANPD poderá solicitar a qualquer tempo relatórios de riscos de privacidade às empresas para certificar-se de que as organizações estão tratando o tema internamente e dentro do estabelecido pela LGPD.
190313_Fluxograma-LGPD

Como se adequar às novas exigências

O primeiro passo é criar dentro da empresa um Comitê de Segurança da Informação responsável por analisar a atual situação dos procedimentos internos quanto aos dados recebidos.

Dentro deste processo é importante fazer um mapeamento bem detalhado a respeito de como os dados pessoais são tratados e todo o seu ciclo de vida dentro da empresa. Saber para onde vão, onde ficam armazenados, quem tem acesso e se são compartilhados com terceiros – no Brasil ou exterior. A partir do resultado dessa análise, será possível avaliar o nível de maturidade dos processos dentro da organização os riscos envolvidos.

Detectadas as deficiências, chega a hora de iniciar os procedimentos para tornar a transação de dados totalmente segura tanto para a empresa quanto para os consumidores.

Quem estará envolvido no processo de proteção de dados

São 4 os atores que participarão ativamente da proteção dos dados em cada empresa:

O titular

Seria o proprietário dos dados, no caso as pessoas físicas.

O controlador

É representado pelo tomador dos dados, ou seja, as pessoas jurídicas

O operador

A empresa responsável pela coleta de dados e sua efetiva segurança através de soluções automatizadas

O encarregado

É o profissional que responde pela proteção dos dados da empresa. É o seu representante, que fará contato com a ANPD quando necessário e pode até ser responsabilizado junto com a pessoa jurídica no caso de mal uso dos dados ou seu vazamento por qualquer motivo.

O que se conclui diante de todo esse cenário é que a entrada em vigor da LGPD significa um grande desafio tanto para as empresas, que precisarão rever vários processos de governança e privacidade de dados, tais como: gestão de consentimento (tanto as autorizações quanto as revogações), gestão das petições abertas por titulares dos dados (que em muitos casos deve ser respondida imediatamente), gestão do ciclo de vida dos dados dentro da empresa (data mapping e data discovery) e implementação de técnicas de anonimização (os dados nesta condição não serão considerados dados pessoais pela lei, desde que o processo seja comprovadamente irreversível).

 

Fonte: https://www.senior.com.br/blog/lgpd-o-que-e-como-vai-funcionar-e-o-que-muda-para-sua-empresa/

Tendências da TI para 2019

robô-atendimento

Dimension Data, provedora de serviços gerenciados e integradora de tecnologia global, anunciou o relatório Tech Trends 2019, que identifica as principais tendências do setor que definirão o cenário de negócios em TI, no próximo ano, no que se refere à experiência do cliente, segurança cibernética, negócios digitais, infraestrutura digital, local de trabalho digital, futuro de tecnologias e serviços.

Para o CTO da Dimension Data, Ettienne Reinecke, em 2019 a transformação digital finalmente se tornará uma realidade, e haverá uma série de interrupções em toda a indústria, à medida que companhias inovadoras vêem projetos de longo prazo frutificarem.

Segundo ele, os projetos de transformação constantemente referenciados, mas, raramente bem sucedidos, começarão a ganhar vida graças à maturidade das tecnologias revolucionárias, como inteligência artificial, machine learning, e automação de processos robóticos. “Até agora, nossa indústria tem falado teoricamente sobre tecnologias inovadoras, sem fornecer uma visão clara de como essas poderosas inovações, tais como: análise, machine learning, inteligência artificial, blockchain e containers, serão usadas na prática”, disse.

5 tendências que definirão o cenário de negócios em TI

1. Automação de processos robóticos irá remodelar a experiência do cliente

O crescimento exponencial da automação de processos robóticos – como machine learning, inteligência artificial e redes neurais heurísticas – dará às empresas a capacidade de combinar cenários, aumentar a compreensão e tomar decisões preditivas em tempo real, sobre as necessidades e comportamentos dos clientes.

2. Organizações se concentrarão em plataformas de segurança cibernética baseadas na nuvem

Violações de segurança cibernética regulares em 2018 farão com que os provedores de segurança baseados em nuvem ganhem força em 2019. Os sistemas de segurança baseados na nuvem são construídos com APIs abertas, o que significa que as equipes de segurança podem integrar rapidamente e facilmente, novas tecnologias na plataforma. Isso garantirá que os clientes possam acompanhar o cenário de ameaças em rápida evolução.

3. Infraestrutura se tornará programável de ponta a ponta

As empresas começarão a adotar várias plataformas de nuvem e aumentarão o uso de Software como Serviço (SaaS). Programabilidade de ponta a ponta significa que as organizações poderão se adaptar rapidamente ao cenário de negócios em mudança e exigir mais de seus aplicativos e dados.

4. Aplicativos se tornarão mais inteligentes e personalizados

No próximo ano, veremos os aplicativos reunindo informações dos usuários e fazendo alterações em suas próprias funcionalidades, para melhorar a experiência do usuário. A inteligência artificial e o machine learning desempenharão um papel significativo ao ajudar os funcionários a trabalhar de maneira mais produtiva.

5. Valor dos dados se tornará o centro do universo

No próximo período, o foco será cada vez mais transferido para o valor real dos dados, conduzindo uma busca renovada para incorporar a telemetria, coletar e enriquecer os dados. São os dados que formarão o núcleo da verdadeira transformação digital e se tornarão a fonte de novos fluxos de receita que ultrapassarão as fontes tradicionais. Isso levará a uma mudança nas arquiteturas de informação, com a necessidade de estabelecer dados ricos, começando a direcionar os investimentos em TI.

POR 

“DESCOBRIRAM MINHA SENHA?”: SITE REVELA SE HACKERS ALGUM DIA INVADIRAM SUAS CONTAS ONLINE

descobriram-minha-senha

O monitoramento de vazamento de dados é feito em instantes em toda a rede.

 

Um dos grandes medos da vida virtual é o vazamento de dados confidenciais.

Por isso criaram um serviço super útil, que mostra se teus logins já foram invadidos ou se alguma informação pessoal  já foi divulgada na internet.

O site Have I Been Pwned utiliza seu endereço de e-mail ou username usado na rede para fazer esse monitoramento em toda a internet, alertando o usuário no caso de ter informações privadas divulgadas em algum site. Todo tipo de vazamento público de dados, que é feito ilegalmente pelos hackers, é revelado pela plataforma.

Tudo o que o usuário precisa fazer é inserir o seu e-mail ou seu username na barra de busca do site, o monitoramento é feito em instantes. Caso tenha sido hackeado, uma lista aparecerá mostrando onde suas informações estão circulando. Sabendo disso, o usuário deve então mudar suas senhas e reforçar o sistema de segurança de suas contas virtuais.

Já existem outras plataformas que fazem o mesmo serviço oferecido, mas esse além de ser gratuito, segundo o site Gizmodo ele é o melhor entre seus concorrentes.

Redação – SOS Solteiros-Publicado: 27/09/16 10:34 | Atualizado: 27/09/16 10:34