WiFi – qual a diferença entre 2,4 GHz e 5 GHz

Se você possui rede WiFi em casa e se interessa por tecnologia, possivelmente você já viu que existem roteadores com dois padrões diferentes de comunicação. O primeiro é o mais comum: 2,4 GHz. Já o segundo, mesmo que seja tão antigo quanto o primeiro, está se tornando mais popular somente agora: 5 GHz. Mas você sabe o que esses números significam?

Geralmente o termo GHz (giga-hertz) está associado ao desempenho. Um processador de 5 GHz, por exemplo, é bem mais potente que um de 2,4 GHz. Nesse caso podemos dizer que quanto maior o número, melhor será o produto.

No caso do WiFi existe uma pequena diferença: esses números não expressam a quantidade de ciclos por segundo como no caso dos processadores. Aqui eles são as frequências de operação do sinal de rádio transmitido pelo roteador. Assim, não existe um valor necessariamente melhor, já que são dois padrões de transmissão diferentes.

Essas diferenças são vantagens e desvantagens que devem ser levadas em conta na hora da compra e do posicionamento do roteador dentro sua casa, empresa ou loja.

Como o sinal de rádio se propaga

Quando falamos em frequências de rádio, precisamos entender um princípio básico: quanto mais alta a frequência do sinal transmitido, mais forte ele vai ser, contudo, menor será o seu alcance. Isso significa que o sinal de 5 GHz possui mais intensidade a curta distância; já a frequência de 2,4 GHz pode carregar menos dados de uma única vez, mas pode chegar a distâncias maiores.

Além disso, os 2,4 GHz também são mais eficientes na hora de atravessar objetos sólidos, como paredes, algo que o sinal de 5 GHz não consegue fazer com muita eficiência.

Por outro lado, a frequência 5 GHz é mais ampla e possui 23 canais de transmissão que não se sobrepõem, contra apenas 3 canais nos 2,4 GHz. Isso faz com que exista menos interferência na frequência mais alta.

Os canais de transmissão são como pistas de uma rodovia, ou seja, quanto mais pistas, mais espaço para os carros passarem sem bater. Agora imagine que dois roteadores estão um ao lado do outro transmitindo cada um dos sinais na frequência de 5 GHz. Se ambos utilizarem o mesmo canal, um pode se chocar no outro, gerando interferência e perda de dados para ambos os lados. Por outro lado, se cada um deles trabalhar com um canal diferente, será possível que ambos trabalhem sem um interferir no trabalho do outro.

A sobreposição de sinal acontece quando os canais são diferentes, mas a transmissão “encosta” na do lado, ou seja, parte do sinal se choca com o canal vizinho. Daí a necessidade de escolher canais que não se sobrepõem.

Como a frequência de 2,4 GHz possui menos canais e somente três que não se sobrepõem, existe mais chance de um roteador próximo do outro acabar gerando interferências no sinal alheio. Se você mora em um apartamento e o seu vizinho de cima possui um roteador trabalhando na mesma frequência e no mesmo canal, existe o risco de perda de sinal.

Para piorar a situação, muitos aparelhos sem fio utilizam a mesma frequência para trabalhar. Telefones sem fio, alguns controles de televisão, brinquedos, alto-falantes sem fio e aparelhos Bluetooth são alguns itens que causam interferência e prejudicam o sinal de WiFi.

Para entender isso, imagine novamente a pista de uma autoestrada. Parte de um trecho está em obras, outro desmoronou. Mais à frente, caminhões passam a transitar nessa mesma pista, causando um engarrafamento. É mais ou menos isso o que acontece com a transmissão quando há muitos aparelhos diferentes trabalhando na mesma frequência.

Mas afinal de contas, qual dos dois é melhor?

O melhor é aquele que atende de forma mais completa suas necessidades. Para resumir: é possível ter uma transferência de dados maior com o 5 GHz, mas é preciso estar ciente de que o alcance do sinal será menor.

Geralmente recomenda-se que seja vista a utilização da rede e seus objetivos principais antes da escolha do roteador. Para locais maiores e navegação simples na internet (email, redes sociais) é recomendado um roteador de 2,4 GHz. Já para streaming de filmes e jogos online o mais recomendado é o de 5 GHz.

A melhor solução (e um pouco mais cara) é investir em um roteador dual-band, ou seja, um roteador que possua os dois modos de transmissão simultâneos. Com isso, você terá sempre duas redes WiFi à sua disposição: uma trabalhando com 2,4 GHz e outra trabalhando com 5 GHz — e poderá alternar sempre que precisar.

Vale lembrar que nem todos os dispositivos WiFi possuem suporte aos dois padrões de comunicação. Antes de comprar um notebook ou um novo smartphone, verifique se eles possuem esse tipo de recurso para não ter problemas mais tarde.

APRENDA O PASSO A PASSO DO “NOVO TRUQUE NINJA” PARA ACELERAR O WI-FI NA SUA CASA

truque-ninja-para-acelerar-o-wi-fi-na-sua-casa

Alterando um número na configuração, o sinal pode melhorar consideravelmente!
Um dos responsáveis pela qualidade da sua internet é o roteador, e também as configurações dele. Nesse aparelho existem diversas opções que influenciam como o Wi-Fi chega até seu dispositivo.

Uma delas é o MTU, que informa o tamanho dos pacotes da rede. Um número baixo de pacotes pode deixar a internet lenta e um número alto pode ocasionar a perda deles, então é necessário inserir o valor correto.

Para conexões a cabo, ou Ethernet, o valor certo é de 1500 bytes e para o Wi-Fi é 1492 bytes. Se esses números forem inseridos errados podem gerar queda da internet, redução da velocidade e não reconhecer alguns aparelhos, como o Chromecast, por exemplo.

Por que isso não ocorra, é importante certificar-se de não estar fazendo a configuração trocada, o número do Ethernet com o do Wi-Fi. O site TechTudo ensinou a configurar corretamente o MTU do seu roteador.

Como cada fabricante coloca uma interface diferente em seus roteadores, não é possível ensinar o passo a passo para todos os modelos. Então esse tutorial foi feito para o roteador D-Link, modelo DSL-2740E.

Para saber como acessar as configurações do seu modelo, consulte o site do fabricante.

Como fazer

Abra um navegador de internet e digite o IP do roteador, que pode ser encontrado no manual, nesse caso é 192.168.25.1

dicarotedor

Insira o usuário e a senha, que também é encontrado no manual ou direto com a operadora. Muitos fabricantes usam “admin” no usuário e na senha, como nesse caso.

autenticacaoAo entrar na interface do roteador, clique em “configurações”, depois em “configuração da internet”.

d-link

Em “Tabela Atual ATM VC”, clique no ícone do lápis.

tabela

No campo “MTU”, digite “1492” se estiver usando Wi-Fi e “1500” se estiver usando uma rede com cabo. Depois clique em “Aplicar configurações”.

d-link-ii

Pronto! Seu roteador Dlink está com o número MTU configurado corretamente, para acelerar e melhorar a qualidade do sinal da sua internet.

Lembrando mais uma vez, para encontrar onde mudar o número do MTU no seu roteador, consulte o site do fabricante ou o manual de instruções.

Fonte(s): TechTudo
Boa Sorte!

O MELHOR LUGAR PARA COLOCAR O ROTEADOR EM CASA, SEGUNDO A CIÊNCIA

????????????????????????????????????

Para instalar e potencializar o W-Fi, siga esse conselho científico.

Quando nos falaram, na década passada, que Wi-Fi era uma internet sem fio que pegava na nossa casa inteira, rolou aquela empolgação generalizada, até nos decepcionarmos ao tentar conectar a internet na cozinha e o “Netflix” no banheiro.
Pois bem, depois de muito choro e algumas centenas de reais investidos em um novo roteador, um estudo parece ter resolvido este problemão.

O doutorando em física Jason Cole estava preocupado com a otimização da recepção do Wi-Fi em sua casa, levando em consideração os pontos de refração causados pelas paredes, então aproveitou seus conhecimentos matemáticos para mapear a sua casa.

Após alguns testes, descobriu que o melhor local para se instalar um roteador é no cômodo central da nossa humilde residência.
E como nem todas as casas são iguais, existindo paredes de vidro e concreto que rebatem o sinal e outros objetos que dificultam a chegada ao seu aparelho.

Boa sorte.