Samsung está desenvolvendo tela para celulares com 11K de resolução

Samsung_Galaxy_Mega_1

A Samsung trabalha com o governo coreano no desenvolvimento de telas para dispositivos móveis com resolução 11K. Isso mesmo, 11K, que traria nada menos que 2.250 pixels por polegada.

Se os 11K forem aplicados a um display 16:9, a resolução será de 11.264 x 6.336 e a tela terá 5,75″, segundo cálculos do PhoneArena. Essa densidade de 2.250 ppi é quatro vezes superior à das telas Quad-HD, que podem chegar a 576 ppi.

O interesse da Samsung na história é o de implementar um “efeito 3D”, que seria atingido graças a essa quantidade absurda de pixels juntos por meio de algum tipo de ilusão óptica.

O governo investirá US$ 26,5 milhões no projeto, chamado de EnDK, pelos próximos cinco anos. Existem 13 empresas empenhadas na ideia, que começou a sair do papel em 1º de junho. Um protótipo será revelado em 2018 e o primeiro smartphone 11K pode chegar ao mercado no ano seguinte.

Nova tecnologia pode regenerar tela rachada de celular

o

Já imaginou ter a tela do celular recuperada após uma queda que tenha causado dano? Uma tecnologia desenvolvida na Universidade de Bristol, na Inglaterra, promete oferecer a capacidade da tela do celular se regenerar após alguma fragmentação leve.

A tecnologia foi desenvolvida a partir de microesferas carregadas de um agente químico baseado no carbono. Quando a superfície é danificada, um líquido é liberado para preencher as fissuras. Ele endurece e fica invisível, reparando a rachadura.

O inventor da técnica criada inicialmente para a indústria de aviação, Duncan Wass, disse que ela poderia ser utilizada em telas de smartphones, ainda que para isso fossem necessários mais alguns anos de pesquisa.

O pesquisador compara sua invenção ao sistema de coagulação sanguínea de uma pessoa quando sofre um corte. Ainda, segundo ele, a técnica oferece uso ilimitado e até a indústria de cosméticos se interessou.

Wass acredita que sua técnica poderia ser incorporada a smartphones e outros dispositivos em cerca de cinco anos, mas para isso uma grande empresa do setor precisaria investir para viabilizar os custos. Não seria viável num curto prazo competir com a tecnologia usada atualmente nos visores, porque encareceria demais o produto final.

Telas de futuros iPhones deverão ler impressões digitais

pay_large_2x

O botão Home do iPhone pode dar adeus no futuro? O rumor existe há algum tempo, e ganhou um novo reforço com um novo rumor. A Apple trabalha em um display com a capacidade de leitura biométrica, para que a própria tela seja capaz de ler a impressão digital.

De fato, a Apple possui várias patentes relacionadas ao assunto, então não haveria obstáculo legal para colocar a tecnologia em prática em algum produto futuro. Resta saber se isso significaria que a empresa quer acabar com o botão Home ou apenas mover a função de leitura de impressão digital para a tela.

 A informação vem de fontes anônimas do jornal asiático DigiTimes, que teria ligação com a indústria de circuitos integrados de Taiwan.

Retirar o botão Home do iPhone poderia significar uma mudança drástica em experiência de usuário do iOS. Afinal de contas, o botão é um ponto central do iPhone, e é usado até mesmo para chamar a assistente Siri.

Ao mesmo tempo, se livrar do botão físico abre espaço para botões contextuais, como acontece no Android, que tem três botões. Um deles é o Voltar, que tem inúmeras funções, dependendo do app que está sendo executado.